Zumbido tem solução!

Recupere o prazer de ouvir bem, ou aproveitar seus momentos de silêncio

ZUMBIDO

O zumbido é um sintoma e não uma doença. E ao contrário do que se costumam pensar, o zumbido pode ocorrer em qualquer idade da vida de uma pessoa.

Atualmente o zumbido atinge cerca de 28 milhões de brasileiros. Segundo dados obtidos através da Organização Mundial da Saúde (OMS), em 2010, já existia aproximadamente 278 milhões de pessoas sofrendo com esse mal. Nos casos mais graves, o zumbido pode interferir no sono e na concentração, causando muitas vezes ansiedade ou até mesmo depressão.

Sendo o zumbido um sintoma multicausal, ou seja, com inúmeras possibilidades de causa, o primeiro passo do tratamento é procurar um profissional especializado no assunto para identificar a sua possível causa, para, dessa forma, poder trata-lo.

As causas dos zumbidos podem ser divididas em dois grandes grupos: zumbido gerado pelo próprio sistema auditivo e zumbido gerado pelo sistema paraauditivo. Fazem parte do primeiro grupo as causas de origem otológicas (infecções nos ouvidos, perda auditiva, etc), cardiovasculares, metabólicas (diabetes), neurológicas (neurinoma do acústico) e odontológicas (disfunções da articulação da mandíbula); para o segundo grupo estão incluídas as neoplasias vasculares, malformações arteriovenosas, contrações musculares, etc.

Descobrindo a causa do zumbido, pode-se propor uma abordagem eficaz. Existem vários tipos de métodos, como, por exemplo, os medicamentosos, a acupuntura, a utilização de oxigênio hiperbárico, a cirurgia, o mascaramento, etc.

Alguns centros propõem apenas o uso do aparelho auditivo para o tratamento do zumbido, todavia, existem muitas variáveis que determinam o sucesso ou não dessa intervenção. Os casos de sucesso só ocorrem quando o indivíduo apresenta uma perda auditiva na mesma faixa de frequência do zumbido, nesses casos, os aparelhos auditivos podem trazer de volta os sons ambientes que naturalmente cobrem o zumbido, gerando alívio para o paciente.

Em 1980, na Universidade de Yale, localizada em New Haven (EUA), foi criado por Pawel J. Jastreboff o modelo neurofisiológico do zumbido. Esse modelo foi validado após 12 anos de estudo pelos resultados encontrados por Lockwood e Salvi.

No ano de 1988, o programa para o tratamento do zumbido foi apresentado ao Dr. Jonathan Hazell em Londres, que adotou o modelo neurofisiológico do zumbido, criado por Jastreboff, para realizar o tratamento dos seus pacientes, os quais logo apresentaram uma melhora significativa quando comparados com aqueles que faziam mascaramento do zumbido.

O modelo da Tinnitus Retraining Therapy (TRT), conhecida no Brasil como Terapia de Habituação do Zumbido, foi publicado em 1990 por Jastreboff na Neuroscience Rescearch, e, nesse mesmo ano, cerca de 1000 pacientes iniciaram o tratamento na Universidade de Maryland Tinnitus & Hyperacusis Center, onde 80% dos pacientes obtiveram uma melhora significativa no primeiro ano de tratamento.

A TRT é um tratamento que tem a finalidade de promover a habituação de reações induzidas pelo zumbido. Nesse processo, há o enfraquecimento das conexões entre o sistema límbico e o nervoso autônomo, responsáveis pelo incômodo que caracteriza os zumbidos significativos.

Atualmente a TRT é o tratamento indicado em vários centros do mundo, como na American Tinnitus Association – ATA(EUA), no Centre National de La Recheche Scientifique (França), no Centro de Acúfenos Buenos Aires - C.A.B.A.(Argentina), no Instituto Ganz Sanchez (Brasil). Em Recife-PE, essa terapia está sendo realizada pela fonoaudióloga Fernanda G. Andrade Lima no Centro de Apoio a Pessoas com Perda Auditiva e Zumbido (CAPPAZ).

Por fim, é importante acrescentar que somente está habilitado a aplicar a Tinnitus Retraining Therapy aquele profissional que tiver curso de formação em TRT, portanto, fique atento, procure um núcleo sério com profissionais capacitados.
Fga. Fernanda G. Andrade Lima.

Receba as novidades da Cappaz em primeira mão!

Informe seu nome e e-mail